A maquiagem de Raphaella Vasconcelos

15 agosto 2017

Tá procurando uma maquiadora boa, mas boa meeesmo, na região de Bragança Paulista, Atibaia e Extrema? Achou! \o/ Com o aumento dos tutoriais e das bloggers de maquiagem, confesso que sei que nós ficamos mais exigentes quando o assunto é make up. Pelo menos comigo foi exatamente assim! Isso porque hoje em dia nós conhecemos muito mais as técnicas e os estilos, e com o jeitinho Kardashian/Jenner de se maquiar, sabemos que rola muito fazer uma make powerful ao invés de um esfumadinho simplezinho, né? Por mais que você goste ou não de um estilo mais forte e marcado, tenho certeza que vai concordar comigo!


É por isso que eu queria muito ter conhecido a Raphaella Vasconcelos, maquiadora de Extrema - MG, nas últimas festas que eu fui: com mais de dez anos em experiência em maquiagem e cinco maquiando profissionalmente, ela realmente manda muito bem e nos faz ter aquele resultado dos sonhos!


Conheço garotas que fazem makes maravilhosas aqui mesmo em Bragança e também sei de salões que tem um baita nome mas, quando você vai fazer o make, percebe que o resultado é simples como se tivesse feito um esfumado mais trabalhadinho em casa. Ou se você não manda tão bem assim com os pinceis, não é algo muito longe daquilo que uma amiga que manja poderia fazer em você, sabe?

Com a Rapha é diferente eu posso falar isso porque vi isso não só de olhar as fotos incríveis que ela sempre postou em seu Insta, mas por ter feito make com ela e adorado o resultado. Ela fez diversos cursos, está por dentro das tendências mais atualizadas de beleza e sabe fazer exatamente aquilo que você pedir. Fui lá neste último domingo com duas amigas, a Vivi e a Laís, e fizemos três makes diferentes lá com ela e o resultado foi incrível.


A Rapha é de Extrema mesmo e atende no salão Reflexo da Beleza by Fabian Mariza. O salão é localizado pertinho da rodoviária da cidade e, bem, Extrema também fica bem próximo à Bragança e Atibaia também, então é super tranquilo de ir. Se você ver bem as fotos deste post também irá concordar comigo que vale muito a pena!
Ela também atende à domicílio mas neste caso somente quando é um grupo maior de pessoas que irão precisar dos serviços dela. Como por exemplo, uma noiva e sua família, entende? Vale a pena conversar com ela direitinho a respeito e combinar!


Na Laís, a Rapha fez um make simples, com uma pele bem feita, um delineado poderoso, boca num tom de batom escuro e cílios postiços power. Ela usa um modelo de cílios que é incrível e os pelinhos parecem reais: o resultado é muito bom! Na hora de colá-los também, a Rapha é mega perfeccionista e coloca-os com bastante cuidado para não descolar nenhuma pontinha depois. E é real, viu? Eles duram até o dia seguinte se você quiser! rs. Os modelos que ela usa são gringos, então são bem mais cheinhos do que os nacionais. Sim, eu uso nacionais e pensei que isso era papo furado, mas a diferença é muuuito visível!


Aqui, na Vivi, a Rapha fez metade do rosto para compararmos com make e sem make. Nela, ela fez um cut crease na diagonal que ficou maravilhoso. Todo o processo é muito bem trabalhadinho: ao ver a Rapha maquiar a gente percebe o capricho que ela coloca em seu trabalho e como vai construindo camadas a fim de ficar uma transição de cores bem suave. 


Já em mim, ela fez um esfumado dourado maravilhoso! Vocês sabem como a minha pele tá mega prejudicada já faz um tempo, né? Inclusive, passei numa dermato outro dia desses e logo vou contar a minha experiência pra vocês lá no Depois dos Quinze. Mas mesmo assim, com a make eu não achei que ficou marcada minha ACNE e minhas manchinhas, ela deu uma boa disfarçada! 


Também gostei bastante que ela é mega antenada nas tendências e usou uma boca mais para o caramelo com gloss brilhante - com um ar anos noventa que tá super em alta! Eu ainda não tinha usado assim e achei que ficou bem legal em mim, inclusive vou começar a passar mais vezes assim. Esse é outro ponto alto de fazer make com a Rapha, porque a gente aprende várias coisas que dão certo conosco, com o nosso tipo de pele e tudo mais!


Apenas morreni com esse make lacriane. Eu amei muito e tenho certeza que das próximas vezes em que eu precisar de uma maquiagem bem elaborada, não vou pensar duas vezes antes de correr chamar a Rapha. Ela arrasa real e eu indico muuuito ela como maquiadora para qualquer pessoa que precisar! :) Ela é super de confiança, um amor de pessoa e com relação a habilidade dela, depois de tantas fotos bonitas eu nem preciso falar mais nada, né?! Confiaria qualquer tipo de técnica a ela! Vocês conseguem ver facinho o motivo... :)


Como não querer tirar um milhão de selfies depois de uma maquiagem tão boa dessas, né? :P 


Siga a Rapha no seu Instagram! E fique ligada, porque além de maquiar ela também dá cursos em várias cidades, de maquiagem profissional e auto-maquiagem. :) Inclusive, se você for de Bragança Paulista como eu, no dia 03/9 ela vai estar por aqui num curso de maquiagem ótimo ensinando as técnicas de preparação de pele, contorno e iluminação, correção de sobrancelhas, colocação de cílios postiços, delineado e muito mais. 

Curtiu a dica? Conta pra mim nos comentários!

Uma perspectiva de sucesso

01 agosto 2017
Quando eu percebi que já estava tudo bem
Acabo de começar este post sem planejar muito, só porque me deu na telha mesmo. Do nada veio o maior sentimento de felicidade por aqui, sem nenhum motivo em especial, já que eu estava aqui trabalhando normalmente e nada de diferente aconteceu no meu dia...

É que é engraçado. Tenho a maior vontade de agradecer pelas coisas que eu tenho hoje em dia. E ao mesmo tempo que eu escrevo isso, também confesso que estou longe de ter tudo que eu quero. Aliás, falta um tanto para isso e não estou 100% contente com diversos etcs que a gente vai levando e nem vale a pena falar pra não ficar cultivando essas partes não tão legais. Tem bastante coisa ruim também, mas isso aqui não é uma competição de desgraças, certo? Todo mundo tem os seus poréns e os meus talvez não sejam tão grandes problemas dependendo de quem vê, até reconheço que tenho diversos privilégios, mas é claro que eu também tenho muitas e muitas questões em aberto que eu tenho ainda a resolver.

Mas mesmo assim, não foco mais nessa parte. Não sei se foi a idade, o amadurecimento ou sei lá o quê, mas eu ignoro tudo isso e me considero uma pessoa de sorte. Vê? Tudo é uma questão de perspectiva mesmo e eu não me imaginei em pensar algo assim ao menos que tivesse ganhado na loto precocemente e tivesse descoberto a cura de algum tipo de doença. E olha eu aqui, me sentindo bem e também bem sucedida... Eu, de verdade, mesmo sendo super tímida, largo mão da modéstia e me considero de verdade uma pessoa que está exatamente onde deveria estar e faz o que sente que sempre quis fazer. É esquisito escrever isso assim, parece até meio prepotente, mas eu penso isso de verdade... E isso é muito bom. É justo comigo.

Hoje eu faço exatamente o que eu sempre quis fazer. Sou muito, muito feliz por isso. Escrever lá no Depois dos Quinze, poder produzir tanta coisa legal junto à Bruna, ter as minhas coisinhas por conta de mim mesma, conhecer tantas coisas diferentes e aprender tanta coisa nova é muito especial pra mim. Tem muita coisa que eu nunca imaginei viver, tipo, realidade muito distante de mim mesmo! 

Eu ainda tenho muito a conquistar, mas onde eu estou, já estou muito, muito feliz.

Não me preocupo com coisas tipo números, como o tanto de seguidores que tenho ou não tenho, ou o que os outros acreditam que o sucesso é. Se a Mariazinha acha que sucesso é ter uma casa própria de frente pro mar e viajar para o exterior todos os finais de semana, ótimo, eu também acho. Mas a minha vida também tem seus pontos positivos e eu tô extremamente feliz com eles.

Por isso que um do tipo de post que eu mais faço lá no DDQ são textos motivadores a respeito de olhar com positividade pra tudo aquilo que a gente tem hoje e tentar extrair algo de bom nisso.  E quando eu os faço, tento colocar o máximo de sinceridade para não ficar clichê e ajudar, de fato, as pessoas assim. Eu mesma gostaria de ler isso lá no passado, entende? Eu sei que as pessoas tem vidas diferentes, mas é meio que um jeito da gente parar e refletir que não precisamos ter aquilo que o outro tem para sermos felizes. As vezes as nossas vidas já são incríveis e a gente não se dá muito conta disso...

É, acho que eu só queria escrever este post mesmo para dizer que eu dou conta da vida que eu tenho. E dou um valor enorme. E então, não sei, talvez compartilhando dessa forma eu inspire vocês a fazerem o mesmo. Vejo muita gente compartilhar mil alegrias de suas vidas quando tá tudo perfeito e redondinho... Queria dizer que por aqui tem lá suas dificuldades (e nem vou citar todas elas) mas mesmo assim eu sou extremamente feliz com a vida que levo hoje. E o meu maior sucesso é essa minha perspectiva, que me tira um peso enorme das costas e me faz ver tudo mais cor-de-rosa do que nunca.

Você consegue ser assim também? <3

Iluminador colorido, jaqueta, colares e mais: recebidos da SammyDress

18 julho 2017

Oie! \o/ Queria muito mostrar pra vocês algumas coisas que chegaram aqui em casa nesses últimos dias. Todas elas são lá da SammyDress e são do tipo eu estava precisando muito. Hahaha! Tá, esse fator "precisar" é meio exagerado, mas de fato são coisas que eu tava querendo já faz algum tempo.. Agora, antes mesmo de usá-las em looks, queria mostrar aqui num post todas reunidas. Olha!


ILUMINADOR RAINBOW: Que coisa liiinda! Quando chegou aqui em casa, achei ainda mais incrível do que na foto da internet. Sim, é um iluminador com as cores do arco-íris! Ele chegou em perfeito estado (amém que não quebrou!) e eu achei a qualidade bem boa. Esfarela um pouquinho, mas como não é sombra isso não importa nadinha. A pigmentação é excelente!


E aqui estão as cores só de passar a mão de leve nele! Sim, são coloridas mesmo, mas no rosto não fica nada vibes carnaval, viu? Se você der uma leve esfumadinha o colorido fica meio que quando a luz bate ou o rosto vira, de um jeito fofo. Gostei bastante! Se você se interessou, aqui tem o link para comprar.


COLAR DOURADO: O segundo item é este colar fofoooo! Ahhh, eu amei tanto! Queria um assim há tempos. São três correntes com bolinhas, duas estrelinhas e uma lua. Dá para usar tanto penduradinho, como colar tradicional, ou estilo choker, deixando justo no pescoço - o que fica ainda mais incrível. Tô aqui pensando como vou fazer para ele durar mais, porque se deixar eu uso todos os dias! Hahaha. O link dele está aqui.


COLAR GEOMÉTRICO: Outro colar! Gente, essas coisas parecem simples demais só que no final nem são. Pelo menos aqui em Bragança eu não encontro colares assim para comprar, sabe? E olha que eu já procurei muito. A não sei semi joias e coisas do tipo, mas tô falando de bijous mais baratinhas, mesmo! Amei o estilo desse e tô usando bastante também. Link aqui.




COLAR ESTRELINHAS: Último colar do post, prometo! Hahaha. Já este é prateadinho, tem essas estrelinhas (que viraram para cima na hora da foto, dscp!) e mais uma um pouco mais acima. Tão delicadinho! Gosto bastante dele e do estilo da corrente. Também dá para usar demais. Link aqui.




T-SHIRT 90': Outra peça básica mas que faz uma baita diferença no look. Além do escrito ser nessa fonte simples porém cool, ela é um tiquinho maxi e o tecido é bem gostoso, super molinho. Já me imagino usando larguinha com saia e também com nózinho na barra. Acho que vai ficar bem legal! Link aqui.


JAQUETA PRETA: E a última peça, que é essa jaqueta de couro fake. Eu tava precisando muuuito de uma jaqueta assim, de verdade! Esta é bem quentinha, acolchoada por dentro, e as mangas e barra são em estilo moletom, que dá para ajustar direitinho no corpo e ficar ainda mais confortável. Ela tem muitos bolsos, o que é mega útil, e capuz removível. Achei q o tipo de material brilha um pouco, mas nada que me incomode. :) O link está aqui mas infelizmente ela esgotou: só que vale a pena ver nas relacionadas logo abaixo da imagem!

E estes foram os recebidinhos da SammyDress! Num geral foram coisas simples, mas que eu tenho certeza que vou usar muito! Se vocês curtiram, ainda tem cupom de desconto de 12%: é só usar SW1001 na hora da compra! O que vocês acharam? Já conheciam a loja? Contem para mim nos comentários! <3

Três produtos que eu tenho usado na minha rotina

04 julho 2017
Para o corpo, para o rosto e para a boca
Ando me policiando para usar com mais frequência os produtos que eu percebo que dão certo pra mim! De vez em quando eu usava ou um outro pra resenha mas depois acabava esquecendo de continuar usando por conta da correria. Agora, não tem mais desculpas, até porque eu estava realmente precisando deles: tenho colocado alguns deles bem do ladinho da cama pra não deixar de passá-los nem que seja na hora de ir dormir! E, com isso, descobri três grandes favoritos que estou usando mais do que todos os outros!
Leite Hidrante Castanha de Natura Ekos
Falei lá no Twitter outro dia o tanto que o cheirinho de castanha da linha Ekos da Natura é um dos meus favoritos do mundo! Sério, se tudo no mundo tivesse esse aroma eu não me importaria nada! Hahaha. É tão gostoso! E além desse fator fragrância, que me faz querer passar o produto o tempo inteiro, ele também deixa a minha pele super hidratada e não demora muito a secar, o que é outro fator muito relevante para mim. É favoritíssimo e a pena é que só tem versão 200ml. Se tivesse 1 litro eu compraria! kkk #exagerada
Hidratante Finalizador Antiacne da Quintal Cosméticos
Da Quintal eu já usava a máscara de argila e o hidratante tradicional para o rosto, até que um dia lá na casa da Bru eu comentei com ela que não sabia se os produtos estavam de fato fazendo algum efeito para o que era o meu problema principal: a acne. Até que ela me deu o hidratante deles específico para isso e eu comecei a usar já faz um tempinho por aqui. Tô adorando! Ele não seca as espinhas, até porque para isso eu preciso de outro produto específico, mas tenho usado após esfoliação e meu rosto fica lisinho, super gostoso. E eu sei que ele está prevenindo a acne futura, então isso já me dá vontade de usar mais e mais.
Esfoliante Labial The Kiss da Lush
Outro produto gostosinho demais que quem me apresentou foi a Fê, amiga querida que trabalha comigo! Eu já usava alguns balms para a boca, mas este produto veio com uma proposta diferente, esfoliando os lábios de um jeito super gostoso e deixando os lábios super macios. Ah, ele é um produto que não tem muito problema se você comer hahaha (sério!), mas ele é meio salgadinho, já que possui sal marinho em sua fórmula. Uso assim que escovo os dentes e começo a trabalhar de manhã!

E é isso, queria dividir com vocês um pouquinho do que estou usando ultimamente. \o/ Você encontra os produtos aqui, aqui e aqui. E vocês, quais tem sido seus favoritos? :)

Como tem sido fazer inglês na Uptime

28 junho 2017

Antes de tudo, queria dizer que por mais que este título pareça um publi, não é! :P Aliás, quem dera fosse, ia ser lindo ter começado assim... Hahaha. O que acontece é que desde o comecinho do meu inglês lá na Uptime, em fevereiro, eu fiquei super animada para escrever um post a respeito, mas achei melhor esperar mais algumas aulas para falar sobre o que eu estou achando. Depois, ainda pensei em esperar concluir o curso para falar aqui minhas conclusões sobre tudo e se realmente aprendi a língua, mas, né? Estou escrevendo este post agora porque estou gostando e queria dividir a minha experiência com vocês. Até porque antes eu procurei muito sobre depoimentos de pessoas que já tinham finalizado o curso mas só achava testemunhos no próprio site deles. Então, aí vai o meu relato sincero!
Consideração inicial: Como era o meu inglês antes de começar as aulas?

Eu nunca fiz curso algum de inglês, só tive na escola. Mas é engraçado que por mais que eu adorasse a minha professora lá, eu não lembro quase nada das matérias. Sinceramente, nem sei como que eu passava nas provas. Hahaha. Hoje quando vejo as coisas de gramática eu penso "gente, até lembro vagamente disso, mas definitivamente não me imagino compreendendo tudo naquela época!". E é bem verdade. Acho que como eu não tinha o totaaal interesse no idioma, eu apenas estudava, passava nos exames e depois guardava a informação numa caixinha qualquer da minha cabeça que me fazia esquecer tudo aquilo.

Depois, quando eu me deparava com alguma amiga fazendo inglês numa outra escola de idiomas, só de pegar nas apostilas para ver como era eu já achava uma chatice. Outra coisa é que também já fui em duas escolas dessas com as minhas amigas, tipo como convidada e também nunca achei tão legal assim. Muito pelo contrário, eu meio que tinha preguiça por elas de irem de ir toda semana nestes lugares! D:

E então o meu inglês se baseava apenas nas séries que eu via e nas músicas que eu ouvia. Não sabia compor uma frase se quer, mas sabia o significado de algumas palavras: "Ah, 'try' é tentar, porque na música a Pink fala 'You gotta to get up and try, and try, try...'" - Era mais ou menos isso e apenas isso. Foi com esse pouquinho e básico que eu iniciei minhas aulas. 
O pontos que me fizeram entrar na Uptime

Quando me matriculei, tive uma conversa longa e é claro que eu compreendi e acreditei nos pontos positivos da escola, por isso mesmo que optei por lá. Só que o que mais chamou a minha atenção com relação à tudo que me foi dito, foi:

1) A questão dos horários flexíveis, que você marca as suas aulas para a semana seguinte de acordo com a sua disponibilidade como se fosse uma consulta ao dentista. E claro que você também tem que levar em conta os horários que eles já tem por lá, mas eles são vários e isso é totalmente incrível, porque sempre dá para achar uma hora e data que sejam boas pra você. Assim sua frequência é sempre 100%  - meio que não existem faltas.

2) O diploma de fluência em inglês ao término de 1 ano de curso. Foi mais este item que me fez entrar no estabelecimento (aqui em Bragança Paulista) e saber mais a respeito da Uptime, aliás. Sei que falando assim, parece até propaganda barata de serviço milagroso, já que a gente sabe que a maioria dessas coisas que prometem coisas grandes à curto prazo são mais marketing do que qualquer outra coisa. Mas, eu juro, mesmo não tendo chego ao término deste um ano, estou mega positiva com relação à estes resultados. Não sei se de fato vou ter o mesmo nível de inglês de alguém que fez lá seus cinco anos de curso, mas se eu conseguir assimilar realmente toda a matéria essencial para falar a língua em apenas um ano, poxa, que maravilhoso!

Não gosto muito de me imaginar por anos a fio com apostilas mais apostilas, por mais que a gente saiba que ter um segundo idioma é algo que deve estar inserido em nossos cotidianos sempre e por isso que prolongar um curso talvez não seja algo tão ruim assim. Mas eu acho que não aguentaria fazer numa escola em que eu sei que as pessoas só saem falando depois de mais de três, quatro anos. É muito tempo para a gente ter o mesmo entusiasmo, não sei... E por mais que eu prolongue o meu inglês, me imagino nestes anos seguintes apenas conversando, falando sobre assuntos diversos e legais, tirando algumas dúvidas pontuais... Não fazendo inúmeras provas, exercícios de gramática, ainda me deparando com informações totalmente novas. Não sei se estou sendo totalmente clara, mas você entende onde eu quero chegar? Continuaria estudando inglês por outros anos porque sei que pode ser necessário, mas não como nas outras escolas. E a Uptime bateu direitinho neste meu desejo. Em um ano, eu vou saber tudo que eu realmente preciso saber e aí é comigo a questão de treinar e adquirir mais vocabulário pra realmente ter um nível massa de inglês. É assim que eu encaro tudo isso.


E foram estes os dois pontos que me fizeram tomar a decisão de entrar lá. Me disseram vários outras características positivas, como a questão que são pouquíssimas pessoas em sala de aula (máximo oito, mas as vezes fazemos a aula apenas eu, mais uma aluna e o professor, o que me faz absorver ao máximo a matéria de uma forma quase que exclusiva!), a metodologia com mnemônica, a questão de poder começar o curso em qualquer dia do ano e outras coisas. Só que foram bem aqueles itens ali em cima que me chamaram mais a atenção e me fizeram entrar lá! :)

Vale ressaltar dois pontos: para o método dar certo, eu já sabia e ainda sei que depende 100% da minha disposição também - sim, não dá para entrar pensando que você vai sentar e eles vão soprar o conteúdo no seu ouvido e isso vai grudar eternamente. Depende muito se o aluno irá fazer o método exatamente como eles falam para fazer. E a mensalidade não é barata. Mas eu pago com um sentimento de que estou investindo em algo que vale a pena, e, logo eu, geminiana que muda de opinião de cinco em cinco minutos e enjoa relativamente fácil das coisas, estou indo para o meu sexto mês de aulas com o mesmo fôlego e vontade do primeiro dia lá em fevereiro. Sim, tem valido a pena MESMO. 

E por quê eu acho que tem valido muito a pena?

1) Eu simplesmente amo o sistema das apostilas. É engraçado que já estou na minha segunda apostila e ela está até meio amassadinha e maltratada porque como eu tenho que praticar todos os dias (apenas 30 minutos que passam voando!) eu levo ela para todos os cantos. E, olha só, mesmo assim todas as vezes que eu pego nela é como se eu estivesse me deparando com um livro novinho em folha. Eu gosto muito que em geral ela traz um assunto e algumas frases de compreensão de linguagem e depois os exercícios, e não uma tabela mega complicada e chata sobre gramática. Aliás, as tabelas existem e nos guiam muito, mas ficam lá no final do livro como consulta e você só pega nelas na hora de fazer os tais exercícios. Todo este planejamento da ordem com que você vê cada conteúdo é muito bom e me estimula de verdade. Eu já vou para as aulas tendo visto o conteúdo. Já chego com as dúvidas e saio da sala com todas elas respondidas e feliz da vida.

2) As aulas e os professores são incríveis. Por mais que eu tenha feito faculdade de comunicação e tudo mais, não sou a pessoa mais desinibida do mundo... Tenho uma super vergonha de me expor a novas situações e tenho que me forçar um pouquinho a puxar assunto com pessoas que não conheço e etc. Mas lá, foi tudo muito natural, sem forçação de barra. Os meus professores, a Mari e o Vini (eles alternam as aulas entre os horários disponíveis), são pessoas muuuito bacanas e a gente conversa sobre absolutamente tudo! E os alunos, os quais eu conheci ainda mais desde quando meu curso começou a inserir as aulas de conversation, também sempre estão num nível próximo ao meu e a gente se diverte muito em aula. Tá aí, além de gostar do curso em si, eu também curto frequentar o lugar. 

Na prática, é diferente? A respeito disso, também já tenho história para contar: eu já tive que usar o inglês que aprendi lá, em outro país. 

Em abril, sozinha lá na Jamaica, foi de fato uma situação em que tive que provar meu inglês para valer. Eu ainda nem tinha chego à um capítulo que falava tudo a respeito de viagens, por exemplo, mas tive que encarar um aeroporto internacional, conversas diversas e muitas outras coisas em outro país o qual eu tinha somente três meses de aula do idioma vigente. Não foi fácil. Várias vezes que eles falavam coisas muito rápido eu sentia que não tinha entendido muito, embora a compreensão geral da frase eu até compreendesse. E eu até ficava um pouco quieta por conta disso. Mas, de verdade, o que ficou de experiência foi que o que me atrapalhava era a questão do vocabulário: ainda eram muitas palavras que eu desconhecia (e não dava tempo de pegar o tradutor para ver o que elas eram no meio da conversa, é péssimo interromper a pessoa, né?) porque nunca havia sido exposta a elas. 

O que eu tirei disso é que era uma questão de vocabulário mesmo. Até conversei disso por lá quando voltei. Eu nunca tinha visto a palavra widespread para entender que ela significava "generalizada" e mesmo compreendendo o contexto ao entorno dela, era de uma forma muito rápida que eu tinha que fazer isso e nem sempre conseguia. Exemplo: quando a pessoa falava a frase rápido e já ia para a próxima, eu ainda estava absorvendo a primeira e por isso que as coisas se embolavam. Mas se ela escrevesse a frase para mim num papel ou voltasse e a dissesse mais devagar, aí sim era relativamente tranquilo de entender - e isso muito graças à Uptime.

Se, por exemplo, puxassem um assunto que eu já tinha visto nas apostilas, como uma conversa a respeito de comidas e restaurantes, rotina, animais, gostos pessoais, o meu aproveitamento era bem, bem melhor. Por isso eu compreendi que eu tinha pouco tempo de aula. Ainda não tinha muito vocabulário. E ainda não tinha treinado o meu cérebro a ouvir e não traduzir tudo aquilo, só ir compreendendo de fato pensando em inglês - coisa que estou fazendo beeem melhor agora com mais algumas semanas de aula.


É por isso que a minha experiência, por mais que passe longe de ter sido perfeita no sentido da comunicação, foi ótima para eu entender onde e como preciso melhorar, e me dar ainda mais confiança de que ao término deste primeiro ano eu vou ter um nível bem legal mesmo de inglês. E eu ainda não tinha nem a conversation nessa época, que é um tipo de aula que também me ajuda a falar outros de assuntos gerais e assimilar muito mais conhecimento... É, por isso que eu voltei ainda mais otimista!

Enfim, escrevi demais aqui, né? Se você chegou ao final deste post, congratulations, você é uma pessoa guerreira! Hahaha. 

Concluindo...

Eu só queria finalizar dizendo que tenho minhas lerdices e minhas complicações em uma coisa ou outra, umas dificuldades em alguns conteúdos, e sei que posso terminar o curso ainda sim errando em diversas frases e tendo algumas dificuldades. É um curso, não um milagre divino em apenas um ano. Mas tudo isso vai fazer parte de um processo natural meu. Com relação à Uptime, sei que com o tempo de curso que tenho e as horas de aula semanais, estão me entregando um conteúdo de qualidade. Acho que, agora, a única coisa que melhoraria ainda mais o meu inglês seria apenas uma experiência como um intercâmbio. Com relação à escola de idiomas atuais aqui no Brasil, estou totalmente certa que foi bom me matricular na Uptime. :) Tudo lá faz muito sentido para mim e eu me sinto muito feliz em ir para as aulas pensando que fiz a melhor escolha quando realizei a minha matricula. E eu estou muito certa que no começo do ano que vem, já tendo finalizado o curso, essa certeza será ainda maior! :)

Ufa! Hahaha. Espero que tenha passado a minha experiência de forma clara! Se você chegou ao final deste post meeesmo, me conta aqui nos comentários qual é a sua experiência com o idioma, se conhece a escola que é pauta deste post, enfim... Vamos conversar! \o/

Look do dia: calça boyfriend da She In

25 junho 2017

Oi! Dia de look por aqui. :) Tava precisando de uma calça nova há tempos, por isso, quando chegou pra mim essa calça da She In os meus próximos looks e eu agradecemos eternamente kkkk! Dessa vez, montei um outfit com essa calça, uma jaqueta lindona de organza (amooo!) que foi presente da Bru, e a minha botinha nova (que eu já tinha mostrado pra vocês lá no Instagram - mas vou falar melhor dela por aqui!). E este é o look de hoje. \o/

O tempo por aqui tá bem frio, inclusive eu tô com uma gripe louca de mais de quinze dias que não passa por nada e já evoluiu pra sinusite hehehe. Mas mesmo assim, de tarde rolou um solzinho, por isso que consegui usar esse look com a jaqueta que não segura muito vento, não, só traz um charminho. Acho que dá para usar ela agora no inverno com blusa manga longa por baixo e só, do contrário, teria que ficar guardadinha até a próxima estação!


O óculos é do Ebay e eu ainda tô pensando se vou ter coragem de usá-lo sempre. Hahaha. Ele é bem Harry Potter, né? Gosto do fato de que é grande, redondo e bem fininho, mas sem make eu me acho meio esquisita com ele.. Ainda to pensando! Já calça jeans da She In é um modelo boyfriend, então é mais larguinha, e também é cintura alta - o que me fez curtir ela ainda mais. Dá para usar ela longa mas também com as barras dobradas, e eu achei que nesse look ficou bem legal assim com três dobras! :)


O jeans é mais grossinho, de qualidade muito boa, e ela tem detalhes rasgados nos joelhos. Aliás, para tirar essas fotos eu abaxei algumas vezes e acabei estourando alguns fios kkkk. Bem esperta sqn! :P  Ela veio no tamanho M porque pelo o que eu medi aqui em casa o S não iria dar na minha cintura, então acabou ficando mais larguinha do que era pra ser, por isso tô pensando em levar em uma costureira para ela deixar mais ajustadinha - só que mesmo assim tá rolando usar ela como está, também!


O brinco maravideuso de lua não é meu, quem dera fosse. Hahaha. Ele é da Vivi e já é a terceira vez que eu pego emprestado dela. kkk Pra quê comprar quando vc pode emprestar das amigs, né mesmo? kkk Tá, verdade seja dita, já tô de olho num modelo igual pra comprar!


A velha pose ~procurando algo no chão~ que nunca falha. Kkkk
Calça jeans da She In, Top da Forever 21, Bota da Zatz.



Detalhe
da bota mais linda que já habitou o meu armário! Eu ia comprar outra que era um modelo bem parecido a este só que mais cara, aí vi essa da Zats no site da Zattini e o preço me chamou a atenção: estava só R$ 150,00. Depois, quando ela chegou, achei ainda mais linda do que aquela mais cara que eu tava vendo anteriormente! Sim, superou demais as minhas expectativas e já indiquei pra todo mundo, a compra foi boa demais. Ela é super confortável embora tenha seus lá 11 cm de salto, é rapidinho de calçar mesmo com tanto cadarço e o material dela é lindo! Valeu muito a pena.

E aí, o que acharam do look de hoje? Me contem nos comentários! :)

Lista: Adaptações de obras literárias para o cinema

21 junho 2017

Eu adoro assistir um filme que eu já tenha lido a sua história nos livros. Alguns deles, aliás, figuram entre os meus favoritos de todos! E são tantos, né? Romeu e Julieta, Os Três Mosqueteiros, e sagas como Game of Thrones (As Crônicas de Gelo e Fogo), Harry Potter, Animais Fantásticos e Onde Habitam, Percy Jackson, Alice no País das Maravilhas, O Orfanato da Srta Peregrine para Crianças Peculiares e muitos outros... :) Por isso que quando a Claro TV me convidou a listar cinco filmes que foram adaptados das obras literárias eu já pensei de cara nestes todos que eu (e muita gente!) curtimos muito. E aí decidi falar de cinco deles que eu gosto demais. São eles...
Onde Vivem os Monstros


Coisa mais fofa do mundo, este é um dos meus preferidos! Aliás, li por aí que é do Barack Obama também. Hahaha. Curioso. :P

Sinopse: Max é um garoto que está fantasiado de lobo, provocando malcriações com sua mãe por ciúme de um amigo dela. Como castigo, ele é mandado para o quarto sem janta e resolve fugir da casa, usando a imaginação para criar uma misteriosa ilha. Lá, ele encontra vários monstros e diz que possui superpoderes, o que o faz ser nomeado rei do grupo. Responsável por evitar que a tristeza tome conta do lugar, ele passa a criar uma série de jogos para mantê-los em constante diversão.
A Menina que Roubava Livros


Um livro que eu amei de cara, indiquei e emprestei para 500 pessoas. Hahaha! Aliás, não sei nem dizer se ele tá em casa! :P O filme foi baseado no livro de Markus Zusak e é emocionante.

Sinopse: A trajetória de Liesel Meminger é contada por uma narradora mórbida, porém surpreendentemente simpática. Ao perceber que a pequena ladra de livros lhe escapa, a Morte afeiçoa-se à menina e rastreia suas pegadas de 1939 a 1943. Traços de uma sobrevivente: a mãe comunista, perseguida pelo nazismo, envia Liesel e o irmão para o subúrbio pobre de uma cidade alemã, onde um casal se dispõe a adotá-los em troca de dinheiro. O garoto morre no trajeto e é enterrado por um coveiro que deixa cair um livro na neve. É o primeiro de uma série que a menina vai surrupiar ao longo dos anos.

A Invenção de Hugo Cabret


Lembro até hoje quando ganhei o livro, escrito por Brian Selznick. A edição dele é incrível, com páginas pretas e ilustrações lindas. O filme também tem toda essa qualidade impressionante!

Sinopse: Hugo é um garoto de 12 anos que vive numa estação de trem em Paris no começo do século 20. Seu pai, um relojoeiro que trabalha em um museu, morre pouco depois de mostrar a Hugo a sua última descoberta: um androide. Hugo faz amizade com uma jovem que tem uma chave que cabe no fecho existente no robô. É o início de uma surpreendente aventura.
O Hobbit


Shame on me. O único livro de Tolkien que eu li foi o "primeiro" de SDA, O Hobbit. Lembro que tentei ler os outros mas na época, talvez por ser muito nova, não dei conta. Ainda quero ler com mais tempo mais pra frente! 

Sinopse:  Situado no mundo ficcional da Terra Média, os três filmes seguem o hobbit Bilbo Baggins , chamado pelo mago Gandalf , para acompanhar treze anões liderados por Thorin II em uma missão até a Montanha Solitária, onde tentarão recuperar os pertences dos anões que foram roubados pelo dragão Smaug. É nessa aventura que Bilbo encontra o Um Anel que desencadeia a trilogia O Senhor dos Anéis.
Cidades de Papel


Não é o meu favoriiito assim no sentido completo da palavra, mas eu achava que merecia estar aqui porque eu achei o filme super fofo (confesso que a trilha sonora MARA contribuiu!) e só depois eu fui ler o livro, que curti muito também!

Sinopse: Quentin tem uma paixão platônica por sua vizinha, Margot, que invade o seu quarto propondo um plano de vingança contra o seu ex-namorado. Depois de uma noite de aventura, Margot desaparece, mas deixa pistas para Quentin descobrir o seu paradeiro.

E eu não poderia deixar de fora outro filme que vem por aí, baseado num livro que eu adoro, que é o "Assassinato no Expresso do Oriente" da Agatha Christie. \o/ Vai ser incrível e eu tô mega ansiosa para assistir! 

Curtiu a lista? Qual outro filme adaptado dos livros você curte muito? Conta pra mim nos comentários!